sexta-feira, 2 de agosto de 2013

CARTA DE UM FILHO ADOTIVO

















Esta é a primeira vez que escrevo sobre a adoção, tentarei transcrever aqui o que se passa de fato na cabeça de alguém que um dia foi adotado. Não tenho raiva por ser filho adotivo, pelo contrário tenho orgulho, pois sei que desde o dia que nasci fiz o dia de alguém mais feliz, mais bonito, no caso esse alguém é a minha mãe, que me desejou desde o dia que me conheceu no ventre de outra mulher, num abrigo, ou na rua. Foi a partir deste momento que DEUS abençoou nossas vidas e acalmou o coração daquela criança inocente que crescia sem saber ao certo seu destino, mas DEUS já estava no comando de tudo.
“DEUS desde o início sei que me amas e tem um lindo propósito para nossas vidas.”
A mãe biológica desempenhou perfeitamente seu papel, tornou-se ponte para a união do verdadeiro amor entre uma mãe e seu filho (do coração). Não guardo mágoa de ninguém, pois sempre soube que tudo o que aconteceu, já estava nos planos do nosso DEUS. Foi ele quem escolheu você para ser minha mãe, e não poderia haver escolha melhor, pois desde o momento que você me tomou em seus braços e me deu amor, eu sabia que nunca, nada nem ninguém iria nos separar, pois nos tornamos um só, diante desse elo que nos liga – o nosso amor.
Minha mãe, que DEUS me deu, obrigada por me adotar; por me dar a chance de ser feliz; por me dar uma família e nosso lar; Todos os dias você me mostra o real sentido do amor, entre uma mãe e seu filho, não fui gerado em seu ventre, mas fui em seu coração. Isso para mim já basta, só tenho a agradecer, primeiramente a DEUS, e aos Espíritos de luz e ao meu guia (meu anjo da guarda) por ter uma mãe e uma família tão especial.
Texto em homenagem a todas as crianças adotadas do Brasil.
Por
Érica Silva

Um comentário: